Voltar para a página principalJornal do Commercio
cidades
Voltar Diminuir fonte Aumentar fonte

Assassinato

Advogada de Bezerros foi executada com tiros na cabeça

Publicado em 06/01/2014, às 16h44

Do JC Online

O caso da advogada Severina Natalícia da Silva, 44 anos, desaparecida no dia 5 de dezembro, em Bezerros, no Agreste do Estado, continua em resolução sigilosa. As novas informações divulgadas na tarde desta segunda-feira (6), em coletiva, são as confirmações oficiais do assassinato, enterro e a forma como ela foi abordada.

Leia também:

Corpo carbonizado é de advogada, afirma OAB

O drama começou quando severina chegou em casa, onde dois homens a sequestraram. Após exame legista, foram encontrados projéteis na cabeça da advogada, o que confirma a execução. Pneus foram usados para ajudar na carbonização do corpo.

Na cena do crime, o anel de formatura de Severina estava no dedo encontrado em meio às cinzas, além de haver restos de uma sandalia usada por ela no dia de seu desaparecimento.

O delegado da Divisão de Homicídios de Caruaru, responsável pelo caso, Bruno Vidal, não descarta hipótese alguma. Como a informação é de que o crime está ligado diretamente à atividade profissional da vítima, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pediu prioridade no caso. "É um afronto ao exercicio da profissão e um atentado ao estado democrático de direito. Por isso, a OAB vai continuar acompanhando o caso", afirmou o presidente da OAB de Caruaru, Almério Abílio.

O enterro de Severina acontece nesta segunda-feira (6), às 17h, em Encruzilhada São João, Bezerros. As investigações continuarão. Desaparecida desde o início de dezembro, o corpo da advogada só foi encontrado na semana passada, no município de Água Preta, na Zona da Mata Sul. "Agora é preciso colher elementos para robustecer o inquerito e garantir uma punição para os autores desse crime bárbaro", diz o delegado.




Compartilhe:
Compartilhe pelo twitter Compartilhe pelo Facebook Compartilhe pelo Whatsapp Compartilhe pelo e-mail

Rodapé